quinta-feira, 5 de junho de 2014

Sara e o deserto das feridas lambidas




por que não sara?
lambendo-te as feridas
abertas
por que não sara?
se arde e se dói
se sarasse não havia sangue
que ainda escorre
que suja o chão
por onde passaste, sara
esta dor que incomoda
por que não, sara?
se a sara não quiser
então o amor não fechará
o que resta dele
não sara o amor pela sara
não sara, pois não, sara?

E.M. Valmonte

1 comentário:

  1. Mas que texto intenso e estranhamente divertido.

    ResponderEliminar