sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Circo #



O rapaz que se enrolava como um bicho-de-conta era a atração do circo, sempre que faltava o trapezista sem pernas ou a gorda que vomitava ovos cozidos. O rapaz aprendeu a enrolar-se como um bicho-de-conta, porque passou muito tempo a observá-los. Fazia um círculo na areia e colocava os bichos-de-conta, um a um, como se se tratasse de um coliseu e ele o dono daqueles gladiadores. Erguia o punho no ar, decidindo sobre a vida e a morte do bicho-de-conta derrotado. Decidiu sempre sobre a vida. Recolhia o bicho-de-conta enrolado, encaminhava-o para uma caixa de fósforos diferente, como que castigando a falta de coragem e a derrota. Aprendera estes castigos com os seus pais, que o castigavam no quarto isolado, sempre que ele não conseguira as moedas necessárias para o pão e o leite do dia. Também ele se enrolava nesses dias de castigo. 

E.M. Valmonte

2 comentários:

  1. Devia estar frio, na vida desse rapaz. Tanto frio que ele aprendeu a enrolar-se.

    Boa noite.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou frio ou medo. Ninguém sabe.

      Eliminar